quarta-feira, 22 de julho de 2009

Respostas e novidades

Feridos já chegou a Portugal, me informa a leitora Ana Ramalho - que comenta um de nossos posts: "Escrever algo que "toca em feridas" é sempre um risco... parabéns pela coragem! O problema é internacional, mas agora temos um livro em português que aborda o assunto... e já chegou a Portugal também!Estou no processo de leitura!"
A editora Mundo Cristão está distribuindo o livro também em Angola, segundo informação de seu presidente, Mark Carpenter.

A leitora Valéria Neiva me pergunta se sou evangélica (post do dia 13/7). Gosto de pensar que sou cristã - uma pessoa cuja meta é ser "um pequeno Cristo", conforme o significado do termo - apesar de saber como é difícil essa caminhada e quão grandes são os meus defeitos! Não gosto muito de dizer que sou evangélica, por ter um pouco de vergonha de tudo o que os evangélicos andam aprontando, mas, vá lá, o que podemos fazer? Sim, Valéria, eu sou evangélica!

Um leitor anônimo gentilmente me convida para conhecer a Igreja Assembleia de Deus Canaã em Fortaleza, dirigida pelo pastor Jecer Goes. Muito obrigada pelo convite, quando for a Fortaleza certamente irei conhecer a sua igreja!

Outro anônimo, não tão gentil, afirma categoricamente que escrevi o livro para "fazer uma grana". Nossa, isso é ser leviano, eu acho que quem faz essas afirmações pelo menos deveria ter a coragem de assinar o nome.

Renata Bezerra me pergunta: "Você menciona no seu livro o nome dessa denominação que causa traumas espirituais e emocionais?" Renata, eu informo no livro os nomes das denominações que, segundo os estudiosos, tendem a ser mais abusivas, mas preferi não mencionar nome de nenhuma igreja especificamente porque a minha intenção não era prejudicar nenhum ministério, nenhum pastor especificamente, o livro não é um tribunal, é uma apresentação de fatos juntamente com uma análise equilibrada sobreo abuso. Obrigada pelo interesse e ajude a divulgar as boas notícias sobre o Evangelho da Paz e da reconciliação! Um abraço a todos. Marília

8 comentários:

  1. Olá Marília, meu nome é Evandro, tomei conhecimento de seu livro ha poucos minutos e quero comprar o quanto antes. Sou da AD e confesso que um grande crítico do sistema religioso evangélico. Espero ter grata surpresa ao ler sua obra e assim que começar a ler desejo começar os elogios. Honestamente, e sem querer tirar seus méritos, não deve ter sido difícil se decepcionar com o sistema de liderança evangélico não é mesmo?

    ResponderExcluir
  2. Deixei no meu blog um comentário muito pessoal ao seu livro.

    http://anaramalho.blogspot.com/2009/07/pausa-feridos-em-nome-de-deus.html

    ResponderExcluir
  3. Andreas Beyersdorf31 de julho de 2009 14:34

    Lendo os relatos contidos no livro, acerca das decepções com uma igreja ou denominação evangélica, lembrei das dificuldades enfrentadas há quase uns seis ou sete anos na igreja da qual faço parte, quando houve uma grande discussão sobre o tema do evangelismo, sua prática e outras questões administrativas da igreja enquanto movimento. Lembrei-me de que naquela ocasião cerca de um terço dos membros saíram da igreja. Uma parte passou a integrar outras denominações, mas uma parte decidiu viver só com Deus, sem igreja, ou apenas reunindo-se em casas de uns e outros, semanal ou eventualmente. Lembro das dificuldades que os que ficaram encontraram. Lembro das minhas dificuldades em retornar para uma igreja “recém-desintegrada”. O ponto em que quero chegar é que, apesar de todos os sofrimentos e desencontros nesta ou naquela denominação, o plano de Deus, como todos vocês sabem, é o de uma igreja unida, como um corpo. A própria existência de tantas denominações e congregações distinta já é um flagelo, quando lembramos que Cristo lutou, orou, pediu e clamou pela união. Agora, todos vocês conhecem as escrituras: apesar do sofrimento, temos que lembrar que a igreja é o corpo de Cristo, do qual ele, Cristo, é o cabeça. Cada membro do corpo é importante e nenhum membro sobrevive espiritualmente separado do corpo. A igreja é apresentada, ainda, como a noiva de Cristo, ou seja, é impossível achar um símbolo de união maior do que aquele que une Cristo à igreja e ambos a Deus. Por isso, apesar de reconhecer e lamentar os inúmeros abusos e, diria até, atrocidades perpetradas em nome de Deus, consciente ou inconscientemente em diversas igrejas, acho que não podemos esquecer que integrar a igreja de Cristo em toda sua dimensão bíblica é fundamental para ser um cristão no verdadeiro sentido do termo. Digo isto com um profundo senso de dever e tristeza no meu coração, porque muitos de meus amigos que fizeram parte da mesma igreja que eu, que me animaram, me encorajaram, me aconselharam, lutaram ao meu lado pela causa de Cristo, enfim, participaram de boa parte dos anos mais importantes da minha vida simplesmente sumiram ou, às vezes dão as caras, mas não querem nem saber de ouvir falar em igreja. Eu entendo a posição deles, mas eu não concordo. Não me cabe julgá-los (apenas lamento, porque mais que irmãos, eram amigos). Porém, a responsabilidade de cada um perante de Deus é individual. Cada um terá de prestar contas a Deus um dia, face a face e individualmente. E, por mais terrível ou dolorosa que tenha sido a experiência de cada um com uma igreja ou liderança, isto não exime a pessoa do dever de seguir o mandamento de Cristo, de se reunir e fazer parte de um só corpo com os demais cristãos, reunião esta que atende pelo nome de igreja, a igreja de Cristo.

    ResponderExcluir
  4. Marília, seu livro é uma benção imensa!! parabéns!! e quando for escrever o segundo, "Pastores Feridos em Nome de Deus" (rsrs), terei o prazer de relatar minha história como pastor da Sara Nossa Terra por 25 anos, que saiu devido a tudo que vc fala no livro!!! Muito obrigado, e que Deus te abençoe cada vez mais!!! (luizcascaldi@terra.com.br)

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito chocada, não pelo conteúdo desta obra, mas sim pelo efeito que pode causar com aqueles que são fracos na fé. Minha preocupação é nas conseqüências que isso vai trazer para a igreja, sei que há muitas falhas, mercenários da fé,ladrões...
    porém ninguém se dedica a fazer um trabalho que mostre os bons trabalhados desenvolvidos pela igreja evangélica, que não é formada pelo pastor apenas, mas por um grupo que trabalha no anonimato, que faz honra ao nome de cristão, quero ver alguém se dedicar a falar das pessoas que realmente foram curadas, libertas, de quantas vidas foram resgatadas da perdição, mostrar o que temos de bom,falar dos problemas isso é fácil, criticar é fácil, respeito o sofrimento das pessoas citadas no livro, acredito que falta um amadurecimento e conhecimento por parte dos cristãos, jamais podemos idealizar um humano, seja pastor, ou outro líder, SOMOS HUMANOS, a Biblia nos ensina que devemos estar com os olhos fixos no alvo- JESUS- não no homem, mero mortal que hoje faz o bem e amanhã... quem sabe, esse homem é sujeito a fraquezas emocionais, psicológicas, enfim é homem...mas a Bíblia já havia nos alertado sobre isso
    se colocar na balança com certeza os pontos positivos sobrepõe os negativos, contudo as pessoas gostam de apontar erros, defeitos, pode se fazer 99 ações boas, uma ruim, ninguém lembra do que foi bom. É triste ver o quanto que nós cristãos temos dificuldades para elogiar o que a igreja tem de bom, fiquei decepcionada com esta escritora, o trabalho em si, material é bom, mas acho que faltou sensibilidade e verificação do que a Bíblia diz sobre este assunto, deixo meu recado aos escritores evangélicos deste país, se é pra investigar, fazer julgamentos sejam justos, mostrem o que a igreja tem de bom não só o que é ruim, pois aqueles que perseguem a igreja já fazem isso.
    katia
    klili@brturbo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Cara Marilia, gostaria de agradecer a sua instrumentalidade nas mãos do Todo soberano para nos ensinar que somos servos e não despotas esclarecidos de um mundo pós moderno, nos ensina que somos limitados e que o infinito não pode conter o infinito, agradeço estes ensinamentos, mas gostaria de sugerir que talvez possamos, ter um segundo livro abusados em nome da igreja,homens e mulheres de Deus que não puderam corresponder as expectativas das igrejas que esperam um super pastor alguem além que lidera e pode ser liderado, sei que foi abordado em alguns capitulos do livro mas quem sabe um livro neste assunto ? gostaria apenas de relatar um fato sem nomes de um colega meu agradeço do fundo do meu coração a benção deste livroabraços Pr Djalma :

    EXONERAÇÃO DO MINISTÉRIO PASTORAL –

    Para a minha surpresa fui exonerado das funções de pastor e presidente da , no dia 11 outubro 2009. Surpresa porque, de repente, fui convocado para uma reunião com a liderança da igreja, que já havia se reunido por duas vezes sem que eu soubesse, e nessa reunião fui notificado de minha exoneração, e como é o nosso costume uma Assembléia foi marcada para que a igreja decidisse, e a decisão foi favorável a minha exoneração.
    Por quais motivos? Por estabelecer na igreja critérios bíblicos para o exercício de ministérios, padrões bíblicos de conduta no namoro, na vida conjugal, e no dia a dia em geral. Por uma pregação fundamentada na Palavra de Deus. Por aconselhamentos conduzindo as pessoas a uma auto-análise, a uma mudança de vida. Por colocar como prioridade absoluta a Bíblia no que se refere a doutrina e a administração da igreja. Por uma capacitação da liderança da igreja.
    Por 19 meses fui pastor da Igreja, com 17 anos de vida, e que já teve 6 pastores, eu fui o sétimo. Uma igreja que não teve paciência e nem perseverança em esperar por um período maior para contemplar resultados, uma igreja imediatista.
    O objetivo era o de até 2012 formar um novo pastor para a igreja, levá-lo ao concílio e então assumiria, se aprovado, o pastorado da igreja; infelizmente parte da igreja não teve paciência e perseverança para tal finalidade.
    Sinto-me cumpridor do dever de Deus para a minha vida, e tudo o que me foi possível investir na igreja, investi, deixo os resultados com Deus. Não saiu magoado ou aborrecido com ninguém, e penso em permanecer na igreja, como membro, por mais algum tempo.
    Deixo com vocês o Salmo 25, que nas últimas semanas foi o meu conforto e encorajamento para continuar fazendo o dever de Deus.
    (pastor).
    São Paulo, terça-feira, 13 de outubro de 2009

    ResponderExcluir
  7. oii gostaria de saber se o livro
    ja chegou no japao?
    como faço para adquiri este livro se faz deposito para vcs tem como envia para mim?
    bom qlq coisa me responde no meu email
    michele_ismael@hotmail.com obrigado

    ResponderExcluir
  8. Cura em nome de Deus, Libertação em nome de Deus, transformação em nome de Deus, mudança de vida em nome de Deus, Santidade em nome de Deus, cura divina em nome de Deus.. Sabe porque estes títulos não aparecem ? sabe pq ninguém escreve ? Por que espalhar é mais fácil que juntar...Ahhhhh, no grande dia...
    Como acusar é facil, mas reconhecer é tão dificil, e nem dá audiência....Até quando Senhor, até quando !!?? Se um Pastor cair, roubar, "n" jornalistas se interessam pelo "caso". Na minha igreja, já vi paralitico andar, já vi aidético ser curado...(comprovadamente) nenhum repórter apareceu, nenhum, porque será ? Por que espalhar, é mais fácdil que juntar...ahhhh, mas no Grande Dia !
    PAULO SERGIO

    ResponderExcluir